No Natal é fatal

Profissão de Fé Ortográfica:
Em 2010 houve mais do mesmo e, sobretudo, muito mais do menos. Como diz o outro, é o que se arranja. E, para começar, arranjou-se um Acordo Ortográfico para unificar a Língua. Como adiante se verá, essa Índia jamais será alcançada. Nem pelos mares, nem pelos ares. Pela minha parte declaro, para os devidos efeitos, que eu continuarei a escrever à antiga portuguesa.
Ora, no Natal é fatal fazer o balanço do ano. E ser solidário. E falar dos pobrezinhos. E regurgitar listas de compras em páginas avençadas. O que deu imenso jeito ao consumidor mais indeciso. Pois que, em clima de fim de festa, o abastado tuguês médio bateu um novo recorde ATM. Em 2011 logo se vê. Ou logo se FMI. Força Camaradas, o Natal é vosso.

 

Os acontecimentos internacionais do ano, são:
Nobel versus Kioto. Para abastecer o folclore mediático, América e China protagonizaram mais uma fita a propósito do Nobel da Paz. Já na diplomacia que conta — it's the economy, stupid. Por isso, na Cimeira de Cancún os dois principais poluidores continuaram a entender-se quanto à necessidade de continuarem a poluir para continuarem a crescer. É a nova détente — a velha Rússia encosta-se à NATO e o novo inimigo usa véu integral.
Castro II, príncipe regente de Cuba, perseguindo o modelo de sucesso do socialismo chinês, anunciou a privatização de metade do socialismo cubano. É um investimento seguro para a burguesia ocidental: sol, rum e puros. A História absolvê-lo-à.
O Ratzinger finalmente viu a luz. E absolveu o uso da camisa-de-vénus, embora sob condição suspensiva. Bem aventurado seja o nosso Ratzinger. Melhor aliado não podia haver. Antigamente, invocava-se o Papão para obrigar os meninos a comer a sopa. Agora também. Mas, agora, o Papão já não é um velho dentuças de voz cavernosa — é um velho nazi imaculado de branco.
Quando a esmola é grande, o pobre desconfia. Ou devia. Este vírus mediático que dá pelo nome de Wikileaks parece a montanha a parir um rato. A CIA usou a Base das Lajes para transladar presos de Guantanamo? Os bifes têm que levar com o orelhas de burro e com a cara de cavalo? A Merkel é desajeitada? O Sarkozy é empertigado? O Cavaco & Silva é Limitado? Onde é que está a novidade? Desta fuga, convenientemente alimentada a conta-gotas, ainda não se percebeu a quem aproveita. Até Cavaco se pergunta: como é que os grandecíssimos EUA têm uma segurança tão frágil? Sam Giancana, o velho padrinho da máfia de Chicago, costumava dizer — "se queres descobrir o culpado, procura o sobrevivente". Não vale a pena sentarem-se.
Silvio Berlusconi, apesar de putanheiro e pedófilo, sobreviveu a mais um escândalo. Até faz lembrar o velho paisano Giuliu Andreotti. Ao Silvio nem uma rapariga de dezasseis anos o conseguiu apear. Convenhamos, se não se pode ir a Roma sem ver o Papa-Criancinhas, ao menos o ex-alfaiate gosta de raparigas. E de festas bunga-bunga.

Os acontecimentos nacionais do ano, por sua vez, são:
Manuel Luís Goucha lançou um programa de entrevistas, sério, chamado De Homem Para Homem. Um dos últimos entrevistados foi o Pretendente. Não aquece nem arrefece, mas mantem muita postura no sentar.
Chegou ao fim o processo, senão do século, pelo menos da década. Agora, a justiça da Casa Pia mais fino. Mas ainda estamos à espera de saber quem eram os outros que não chegaram a passar no fino crivo da nossa justiça anã.
O Carlinhos dos Açores resolveu, ao abrigo da Constituição Autonómica, criar uma nova categoria de tugas. Para acrescentar aos FDP—Filhos de Portugal, este lídimo representante da "tralha guterrista" (como bem lhe chamava um renegado Filho da Madeira) inventou os FDA. Os Filhos dos Açores, tal como os Filho da Madeira, pagam menos impostos, menos pela energia e pelo tabaco, menos propinas nas universidades do "contenente", menos nas viagens de avião, etc. Ou seja, vivem à nossa conta, à conta dos impostos dos FDP. Até agora, todos gostávamos de pensar que havia uma pequena diferença entre os FDA e os FDM. Estes insultavam-nos às claras, aqueles limitavam-se a viver discretamente à nossa custa. Mas o cacique dos Açores estava farto de ser apenas um pequeno FDP. Tal como o seu rival das outras Ilhas, deu um gritinho de Ipiranga e autocoroou-se o Pequeno César dos Açores. Alea Spiritus Sanctus Est.
E, por falar nisso, Adalberto João, o grande FDP da Madeira anunciou a sua candidatura a novo mandato à frente dessa Ilha Adjacente. Se a aritmética não me falha, a democracia regional vai permitir que o Joãozinho esteja mais tempo no poder que o Santo António de Santa Comba. E com eleições tão livres como na livre inglaterra. Força Camaradas, a Madeira é nossa.
O Senhor Presidente do Conselho, perdão, da República, por ocasião dos 90 anos do relatador-mor do reyno, Artur Santo Agostinho, espetou-lhe ao peito a Comenda da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada. "Lembro-me perfeitamente dos seus relatos de acontecimentos desportivos épicos", referiu o Senhor Presidente. Ah pois lembra. Não só perfeitamente mas, sobretudo, com eterna saudade.

Os anúncios do ano são três como deus fez:

TV. iPhone/TMN. Dois surdos-mudos a falar ao telemóvel é uma das melhores demonstrações das vantagens do produto alguma vez feita na História da Pub.
TV. Salsichas Nobre. Ao som de uma bela pianada, uma mão tira coisas de uma lata sem rótulo. Os shots de sábado à noite, os cromos das tardes de domingo. Enfim, um anúncio barato que vive do excelente copy. Para quem não saiba, trata-se de uma homenagem ao célebre anúncio do jornal inglês, The Independent, que ganhou o Grand Prix no Festival de Cannes em 1998. Qual é a relação entre um jornal diário e uma lata de salsichas? Tá tudo lá dentro.
Pub Exterior. Lingerie Intimissimi. Um verdadeiro pro bono para mecânicos, bate-chapas e pintores de automóveis.

Efemérides republicanas:

Este ano que passou fizeram-se cem anos da implantação da República. Se adivinhasse que o comemorante da efeméride seria o labrego de Boliqueime, o Buiça teria dado um tiro nos cornos em vez de no senhor Dom Carlos.
Fizeram-se também dez anos que morreu Júlio Pinto, marginal de sucesso. Morreu, muito curiosamente, a 5 de Outubro.